Via Livre ganhou prêmio nacional de mobilidade sem precisar de radares para multar a população

VIA LIVRE GANHOU PRÊMIO NACIONAL DE MOBILIDADE SEM PRECISAR DE RADARES PARA MULTAR A POPULAÇÃO

Quando fui secretário de Mobilidade Urbana de Natal, em 2009, não implantei nenhum radar na cidade.
Nenhum.
Mesmo assim, nosso Projeto de Mobilidade Urbana impactou positivamente ao liberar espaços PÚBLICOS nas vias que historicamente estavam sendo utilizadas por veículos PARTICULARES.
Foi difícil mudar a cultura. Deu trabalho. Não eram medidas populares ou eleitoreiras. Mas, como tínhamos convicção do trabalho que estava sendo feito, e da melhoria futura que a cidade poderia ganhar, persistimos, mostramos os benefícios à coletividade e, ao final da empreitada, prevaleceu o interesse público.
Espaços preciosos, em uma cidade apertada (a menor capital do Brasil em área geográfica), que serviam de estacionamento particular, com conforto somente para alguns proprietários de veículos, foram liberados para o acesso livre e da mobilidade pública de milhares pessoas.
Ao projeto, demos o nome de Via Livre. Antes de qualquer multa, passamos longas semanas informando a população sobre a novidade.
Demos entrevistas em rádio, televisão, jornal, blogs. Advertimos. Contamos com a valiosa ajuda dos amarelinhos e com os técnicos e servidores de carreira Semob. Funcionários públicos de alta capacitação.
Somente quando a informação sobre o Via Livre estava maturada, amplamente divulgada começamos a multar, presencialmente, sem radares-armadilhas.
Só foi multado quem insistiu em acreditar que a lei não seria cumprida.
Toquei neste assunto novamente porque acredito, por experiência própria, que é possível mudar o trânsito de Natal com informação e boa vontade. Sem agir como um inimigo oculto, à espreita, escondido na copa de uma árvore, para multar os motoristas.

Kelps Lima. Advogado. Especialista em Gestão Pública. Mestrando em Políticas Públicas. Deputado Estadual. Ex-secretário de Mobilidade Urbana de Natal.

Leave a Reply